“Apenas duas gotinhas de Chanel Nº5”. Essa foi a resposta provocante de Marilyn Monroe, um dos maiores ícones do século 20 a um jornalista que questionou o que ela usava para dormir, em 1955.

Em 2021, o perfume mais famoso do mundo completa 100 anos de existência. Foi também, o primeiro a ser vendido em massa com o nome de uma estilista, a inesquecível e atemporal Gabrielle Chanel. “É muito difícil descrever uma maravilha da perfumaria como essa”, explica o perfumista sênior da Ginger, Fabiano Ramos.

Mistério da fórmula

“Um perfume de mulher, com cheiro de mulher”, como bem definiu a própria estilista, o abstrato e misterioso Chanel Nº 5 desafiou a perfumaria ao ser produzido com um buquê de mais de 80 notas aromáticas – entre elas, rosas, jasmins, sândalo, flores raras do oriente combinadas aos aldeídos – pelo perfumista Ernest Beaux.

“Trata-se de um floral muito especial, cremoso, misterioso, com flores brancas e coração de jasmim e notas de aldeídos, nada utilizados na época pela perfumaria”, explica Fabiano. De acordo com ele, além disso existe um rigor e cuidado especiais no tratamento dos ingredientes da fórmula. “Na perfumaria, a colheita feita às quatro horas da manhã tem outra propriedade em relação à feita ao meio dia, por exemplo. Para se ter ideia, um quilo de óleo essencial de jasmim necessita de 100 mil pétalas. E é aí que se obtém um resultado olfativo surpreendente e jamais visto”, completa.

O nome

Seu nome vem da escolha de Chanel pela fórmula de número 5, seu número da sorte e aquele mais marcante para ela. Ao apresentar as variações criadas pelo perfumista, a estilista escolheu a opção de número 5, que inclusive, possuía notas de aldeídos, que torna a fragrância tão marcante.

O frasco

O perfume foi, também, pioneiro em seu frasco, que diferente do estilo rococó predominante na época, era minimalista e imitava os recipientes de laboratório. Sua tampa foi inspirada no formato da Praça Vendôme, em Paris.

Depois de 100 anos, Chanel Nº5 permanece atual.

“Ousadia. Chanel é Chanel. Chanel não muda. É uma mulher realmente à frente de seu tempo, visionária em compreender a possível relação entre uma grife de moda com a perfumaria”, finaliza Fabiano.