Dá para imaginar que uma única fórmula pode conter mais de 300 matérias-primas para dar origem a uma fragrância única? Sim! Isso faz parte do universo da perfumaria, complexo e cheio de mistérios e curiosidades. Por isso, a Ginger reservou esse espaço para falar sobre mitos e verdades que permeiam o assunto. Acompanhe!

 

 A fixação de um perfume pode alterar de acordo com o tipo de pele?

 

VERDADE. Peles mais oleosas e mistas tendem a absorver mais facilmente a fragrância em relação a peles secas. Além disso, o perfume pode sofrer pequenas alterações de acordo com alimentação e estilo de vida da pessoa!

 

  • Perfumes que possuem fixador duram mais.

 

MITO. A fixação de um perfume na pele depende da concentração da fragrância e das matérias-primas que compõem a fórmula do produto. Notas amadeiradas, de âmbar e vanilla, por exemplo, costumam ter maior durabilidade em relação aos cítricos, que são mais voláteis e, dessa forma, evaporam mais rapidamente.

 

  • No inverno os perfumes duram mais tempo na pele

VERDADE. Quando o clima apresenta temperatura mais baixa, as pessoas tendem a transpirar menos e, dessa forma, o perfume fica mais tempo na pele.

 

  • O Musk é uma fragrância que, antigamente, era obtida através de um cervo-almiscarado.

 

VERDADE. Nem sempre a conhecida e adorada fragrância do Musk foi feita em laboratório, como hoje. Conhecido também como Almíscar, essa fragrância era resultado de uma substância de forte odor, secretada por uma glândula do macho cervo-almiscarado, que marcava seu território para atrair as fêmeas.

 

  • O olfato consegue captar diversos odores de uma vez só.

 

MITO. Diferente da visão, que é capaz de identificar diversas cores de forma simultânea, o olfato capta apenas um odor por vez. Em um ambiente, predominará a fragrância mais intensa e se existir mais de um perfume marcante, a percepção alternará entre um e outro. O processo se inicia quando o ar entra pelas fossas nasais até atingir a cavidade nasal, onde ele é umedecido, aquecido e purificado. Em seguida, as moléculas aromáticas entram em contato com a mucosa olfativa e enviam impulsos para o sistema nervoso, onde as sensações olfativas serão interpretadas e produzidas!