O universo da perfumaria é mesmo apaixonante e, sim, complexo. As formulações são desenvolvidas a partir de misturas, que combinam as notas em quantidades perfeitas. Imagine quantas combinações são possíveis… Talvez milhões! E você já deve ter ouvido falar em notas de cabeça, coração e fundo. Dentro de cada frasco percebemos uma combinação perfeita, composta por essas notas.  Mas, você sabe o que significa cada uma delas? Entenda a anatomia do perfume e suas nomenclaturas!

 

 Notas de cabeça

Conhecidas também como notas de saída ou topo, são percebidas imediatamente após a aplicação da fragrância sobre a pele. São leves moléculas que evaporam rápido e, por isso dissipam rapidamente, com a função de despertar o interesse de quem sente o perfume pela primeira vez e precisa optar pela compra ou não. Geralmente refrescantes, cítricas e aromáticas, elas costumam ter ingredientes voláteis e evaporam no momento que o perfume seca na pele. É, por isso, inclusive, que para sentir  fragrância oficial, é preciso aguardar alguns minutinhos!

 

Notas de coração

Classificadas também como notas de corpo, elas emergem ao olfato logo após a evaporação das notas de cabeça e como o próprio nome diz, são responsáveis por formar o coração da fragrância, ou seja, as notas principais. Elas fazem parte da alma, da identidade do perfume e, geralmente, são responsáveis por expressar a inspiração principal daquela composição, chegando a representar 40% da fórmula. Diferente das nota de cabeça, são formadas por essências menos voláteis, que tem um tempo mais lento de evaporação. As notas de coração podem ser obtidas a partir de flores, folhas e especiarias.

Notas de fundo

Ou notas de base são as últimas a serem percebidas pelo olfato, mas ao mesmo tempo, são aquelas que ficam por mais tempo na pele por possuírem moléculas mais pesadas. As notas de fundo trazem profundidade e solidez para o perfume e fortificam as notas de cabeça e de coração. São compostas por matérias-primas que têm moléculas com alto peso e que são pouco voláteis, ou seja, demoram ainda mais tempo para evaporar, podendo demorar horas após a aplicação para serem percebidas. Equivalentes a 40% e 50%  da composição das fragrâncias, podem ser extraídas de resinas de madeira ou a partir de moléculas sintéticas desenvolvidas pela indústria de perfumes para substituir as de origem animal, usadas antigamente.